Como chegar
|
Contactos

Artigos da Newsletter Institucional setembro 2014

Nº38 – setembro 2014
Destaques

Nova etapa de trabalho, disciplina e ambição

A Aula Magna esteve repleta para dar as boas-vindas aos novos alunos e às suas famílias. Como é tradição, a cerimónia distinguiu também o talento e o trabalho dos melhores estudantes com as bolsas de mérito e os prémios do Banco Santander e da XZ Consultores.

Armando Jorge de Carvalho, Presidente da Cooperativa, dirigiu-se à audiência referindo que “este é o início de uma nova etapa de vida que todos desejamos auspiciosa, mas que obriga a muito trabalho, disciplina, exigência e ambição”. Realçou o papel da Universidade Portucalense “no crescimento dos estudantes, enquanto cidadãos plenos de valores morais e éticos que possam, amanhã, contribuir para uma melhoria global da sociedade em que vivemos”.

Alfredo Marques, Reitor em exercício, falou do encontro com “uma escola viva, uma escola em movimento, atenta ao mundo que a rodeia, às suas transformações e participante ativa, ela própria, nessas transformações”.

Defendeu ser um erro grave concluir que “não vale a pena estudar: primeiro, porque, apesar de tudo, o desemprego é menor, ou bem menor, nos mais qualificados do que nos que têm qualificações mais baixas; segundo, porque estudar é investir no futuro e, para quem é jovem, o futuro é longo; terceiro, porque se Portugal e outros países europeus estão a sofrer de anemia, noutros países assiste-se a uma explosão de crescimento económico, nomeadamente em novos estados-membros da União Europeia ou na China, onde o crescimento se iniciou com base em baixas qualificações e baixas remunerações do trabalho, mas está hoje claramente a evoluir e a ser sustentado pelo progresso do conhecimento e pela melhoria do capital humano”.

Destacou “as energias e os recursos canalizados para a construção de uma escola moderna e robusta, com um corpo docente altamente qualificado, com cursos atualizados que garantem as mais altas taxas de empregabilidade”.

Aludiu ainda à produção científica e às ligações internacionais, na medida que “o conhecimento é universal, não conhece fronteiras e não é produzido isoladamente” e à “exportação de cursos”.

Após a entrega das bolsas de mérito e dos prémios, a Tuna Feminina encerrou a cerimónia com músicas do repertório.


Cultura do vinho e Enoturismo em debate

Mais de uma dezena de especialistas do setor da Hotelaria e do Turismo, entre os quais o “chef” Hélio Loureiro e o Presidente da Rota da Bairrada, Jorge Sampaio, abordaram a “Cultura do Vinho, Enoturismo e Desenvolvimento Turístico”, no âmbito do Dia Mundial do Turismo.

Segundo os últimos dados do Turismo de Portugal, o primeiro semestre do ano apresentou um saldo da balança turística de 2,5 biliões de euros, um aumento de 13,6% face ao período homólogo anterior. Para este aumento contribuiu o “cluster” do vinho e do enoturismo que assume uma relevância crescente na economia e no desenvolvimento regional.

"Em Portugal o enoturismo tem, maioritariamente, caraterísticas de nicho, atraindo, com frequência, turistas com grande poder económico. A nível nacional existe uma oferta muito qualificada, frequentemente associada ao turismo rural e a hotéis de charme em localizações privilegiadas”, afirmou Josefina Salvado, coordenadora do 1º ciclo em Turismo.

A conferência integrou três painéis – “Enologia e Enogastronomia”, “Enoturismo e Rotas de Vinho” e “Casos de Sucesso”.

O “chef” Hélio Loureiro moderou o primeiro painel, que teve como oradores o CEO da Casa Agrícola de Cever, Filipe Mergulhão, e o Diretor do Douro Family Estates, João Carvalho.

A debater o tema do Enoturismo esteve o Diretor de Marketing da Dão Sul, Nelson Pereira, e o CEO da DMC-Vinitur, João Marinho Falcão, numa discussão conduzida pelo presidente da Rota da Bairrada, Jorge Sampaio.

Por último, Fernando Melo moderou alguns casos de sucesso no setor, que contou com oradores como Bento Amaral, enólogo do IVDP, Paula Sousa, Diretora do Enoturismo da Quinta da Nossa Senhora do Carmo, Pedro Araújo, CEO da Quinta do Ameal, e João Ribeiro, CEO da Quinta do Vallado.
 


Direito quer atrair talentos internacionais

Até 2020, a Universidade Portucalense pretende captar 2500 alunos estrangeiros da área de Direito, em programas de formação avançada, nomeadamente pós-graduação, mestrado e doutoramento, que serão lecionados em inglês.

O público-alvo são estudantes na faixa etária entre os 20 e os 25 anos, que concluíram a formação inicial na área do Direito, não estejam ativos no mercado de trabalho e pretendam adquirir experiência internacional e contactar com outras culturas.

Com esta estratégia de internacionalização, a Universidade Portucalense irá concorrer diretamente com as academias britânicas e holandesas, apostando em fatores diferenciadores como o preço competitivo da formação, a integração no espaço Schengen e a cidade do Porto apresentar um custo médio de vida inferior às outras cidades europeias.

Caramelo Gomes, diretor pelo Instituto Jurídico Portucalense, explica que se pretende “trazer para Portugal uma força de estudo internacional, ou seja, segurar os melhores alunos desta formação e integrá-los em atividades de investigação do Instituto, fazendo com que permaneçam no nosso país para frequência de mais dois ciclos de formação, o mestrado e o doutoramento”.

A Universidade Portucalense estende assim o seu conhecimento para além dos países lusófonos, trabalhando já, em conjunto, com universidades da Eslovénia, Croácia e Rússia, para aumentar a oferta de formação avançada, em inglês, ao nível do mestrado e do doutoramento, e concorrer, assim, à escala global.
 



Mais 40 docentes doutorados até 2020

Nos últimos três anos, a Universidade Portucalense contratou 31 docentes doutorados e, até 2020, estima recrutar mais 40 doutorados nas áreas de Economia, Gestão, Direito, Sistemas de Informação, Psicologia e Turismo.

O objetivo é garantir uma formação com maior qualidade que melhore as competências dos estudantes para o mercado de trabalho. Destaque-se que, já neste sentido, os planos de estudo das licenciaturas de Economia e Gestão foram reformulados em prol de um conhecimento mais atualizado, maior aproximação às empresas e adaptação às exigências do mercado de trabalho.

Na licenciatura em Gestão, a reforma consistiu no reforço de competências na área das Ciências Empresariais, em conjugação com uma formação em áreas transversais como as Ciências Jurídicas, os Métodos Quantitativos e a Informática. Enquanto que na licenciatura de Economia, a reestruturação, para além de incidir no reforço de matérias obrigatórias nas áreas de maior utilidade para as organizações, pretendeu alargar os horizontes dos estudantes, tendo em conta os desafios da economia globalizada atual.



Empresa júnior está a recrutar

A C&M UPT Junior Consulting, empresa júnior da Universidade que desafia criar a “ponte” entre o mundo universitário e o mundo empresarial, está a recrutar novos membros para as áreas Financeira, Comercial, Marketing, Recursos Humanos e Qualidade até 5 de outubro.

“De forma geral, procuramos estudantes a frequentar o primeiro ano de licenciatura, que não tenham experiência, mas que ambicionem aprender e estejam motivados para fazer acontecer. Podemos, ainda, recrutar um membro com experiência, caso demonstre ser uma mais-valia para a organização”, explica-nos David Moura.

No ano passado, estiveram envolvidos 30 estudantes na C&M UPT Junior Consulting em eventos como o “3DS”, a “Feira de Emprego” e o “Fim-de-semana de Planeamento”.

Para este ano letivo, para além da participação no “Pitch Bootcamp Nacional”, a aposta da empresa júnior recairá na oferta de serviços de consultadoria e de programas de apoio a “startups” e, por isso, a formação de uma equipa forte e unida será fundamental para iniciar os serviços de consultadoria e, possivelmente, lançar um projeto de empreendedorismo”, justifica.
 




Docentes abordam Turismo e Património na Alemanha

Os docentes Isabel Freitas, Josefina Salvado e Fábio Carbone do Departamento de Turismo, Património e Cultura (DTPC) foram selecionados para uma formação na “Academy of Media Arts”, em Colónia, na Alemanha, que decorrerá entre 23 e 26 de outubro.

A reunião em contexto de formação europeia reúne investigadores dos 27 países da União Europeia, de diferentes áreas científicas de conhecimento.

Isabel Freitas, Diretora do DTPC, adianta que os objetivos da participação são: “integrar o grupo de investigadores do Departamento, no âmbito de um projeto europeu financiado pelo programa “COST”, cuja temática principal de investigação são as novas correntes do neomaterialismo”.

“Iremos contactar diretamente com os diretores de projeto, com objetivo de apresentar a nossa visão do Turismo e do Património, no âmbito desta nova corrente”.

Sublinhe-se que os investigadores selecionados apresentaram um resumo do trabalho realizado na Universidade, no âmbito do Turismo e Património, tendo sido bem acolhido e, por esse motivo, os investigadores foram selecionados.
 


“Praxe Solidária” para ajudar quem mais precisa

A Associação de Estudantes (AE) anunciou a realização de uma “praxe solidária”, com uma campanha de recolha de roupa, calçado, brinquedos, têxteis lar, acessórios e material escolar destinada à Associação Nacional de Ajuda aos Pobres. Miguel Marinho, Presidente da AE, falou a este propósito com a “Comunica UPT”.

Comunica UPT: Quais as motivações desta iniciativa?
Miguel Marinho: A solidariedade deve ser cultivada, cada vez mais, no seio da comunidade académica. Hoje, são os outros a necessitar de ajuda mas, amanhã, pode ser qualquer um de nós. Relembro também que a máxima da nossa praxe sempre foi a solidariedade.

Quais são as expectativas?
Pessoalmente, sou sempre muito positivo, tendo sempre presente que "energias positivas, atraem ações positivas". Quem está na organização de atividades solidárias, deve pensar assim.

Existem outras atividade no âmbito da “praxe solidária”?
Sim, iremos continuar com a campanha de recolha de bens alimentares para animais e com as colaborações nos projetos "Uma casa para a Ritinha" e “U.SOL”, que conta com os grupos académicos da Universidade e visa organizar ações solidárias de uma forma continuada.

Qual a mensagem que deixa para este período de receção aos caloiros?
Antes de mais, dou os parabéns aos novos alunos por terem escolhido a Universidade Portucalense. Direi para aproveitarem o ensino superior, não fazerem só o percurso “universidade/casa e casa/universidade”, crescerem ainda mais, enquanto pessoas, para serem mais autónomos, responsáveis, ativos e solidários. E, claro, para nunca se esquecerem do objetivo que os trouxe até aqui.

Quais os desafios e objetivos da AE para este ano letivo?
Temos três grandes objetivos - criar projeto “U.SOL”, para que os alunos sintam que estudam numa Universidade que que preocupa com quem mais necessita; ajudar a Tuna Feminina a realizar o “seu” festival; e colocar nome da Associação no topo da Academia do Porto.
 

UPT atribuiu bolsas de estudo em parceria com a CMP

A Universidade Portucalense atribuiu cinco bolsas de estudo para o ano letivo 2014/15, no âmbito de um protocolo com a Câmara Municipal do Porto, designado por “Porto de Conhecimento”, que visa a isenção de propinas durante um ciclo de ensino, em cinco instituições de ensino superior do Porto, entre as quais a UPT.

As bolsas foram entregues pela Vice Reitora Paula Morais a cinco estudantes das escolas secundárias do Cerco, Filipa de Vilhena e António Nobre, que ingressaram nas licenciaturas de Gestão, Direito e Psicologia.

A cerimónia decorreu na Câmara Municipal do Porto, no dia 9 de setembro, e foi liderada por Guilhermina Rego, Vice-Presidente do município e, antiga aluna da Universidade Portucalense.

As bolsas de estudo atribuídas destinaram-se a estudantes que terminaram o 12.º ano de escolaridade, de escolas públicas e beneficiários da ação social escolar ou equiparados, residentes no concelho do Porto.
 



COMUNICA UPT FICHA TÉCNICA

Periodicidade: Mensal
Coordenação Editorial: Ana Aires Duro
Email: comunicaupt@upt.pt

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)
Por favor dispense alguns minutos para responder a umas perguntas rápidas sobre o nosso website.