Como chegar
|
Contactos

Artigos da Newsletter Institucional outubro 2013

Nº28 – outubro 2013
Destaques

Alfredo Marques, vice-reitor da UPT

Alfredo Marques, vice-reitor da Universidade Portucalense, é doutorado em Economia pela Universidade de Ciências Sociais de Grenoble, França, e Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Desenvolveu ainda um percurso fora da Academia, tendo assumido no passado as funções de administrador da Direção-Geral da Concorrência na Comissão Europeia e de presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro. Manteve ainda uma relação estreita com o mercado empresarial ao participar na criação de empresas de base tecnológica.

Alfredo Marques pretende “contribuir para colocar a Universidade entre as melhores escolas nacionais”, no âmbito da estratégia da Portucalense de desenvolver, nos próximos anos, novos cursos adaptados às realidades e necessidades do mercado de trabalho e à exportação da educação.
 


Aumentar a competitividade com os STI

Até dezembro, a Universidade Portucalense promoverá o Ciclo de Workshops designado por “Estado de Arte em…”, que abordará temas emergentes das Tecnologias e Sistemas de Informação, entre os quais, SCRUM, BPM, PMI, COBIT, CMM-SEI, IIBA e ITIL.

Esta iniciativa é organizada pelo Departamento de Ciência, Inovação e Tecnologia (DICT) e pretende “sensibilizar para a importância das temáticas e proporcionar uma atualização das metodologias de Gestão e Sistemas de Informação”, anuncia Filomena Castro Lopes, diretora do DICT, com quem “Comunica UPT” falou.

Comunica UPT: Foram escolhidas sete temáticas. Quais os critérios que estiveram na base desta escolha de temas?

Filomena Castro Lopes: Podemos dizer que decorre de duas “tradições” do Departamento: por um lado, insere-se no âmbito dos Sistemas e Tecnologias de Informação (STI) que é a nossa, área de Investigação e Formação; por outro, traduz o nosso contributo para o desenvolvimento do tecido empresarial da região. Com a organização deste Ciclo de Workshops pretendemos sensibilizar os profissionais, assim como as empresas para um sentido mais alargado, de áreas de conhecimento e de práticas fundamentais, de modo a assegurar que os STI sejam um veículo para a competitividade, gerando valor para as empresas, e não um custo.

O que têm em comum as sete áreas e porque são atualmente influentes nos STI?

Todas estas práticas, áreas, são passíveis de certificação, garantindo que os profissionais serão capazes de implementá-las de forma correta nas organizações, melhorando a eficácia dos STI.

As empresas envolveram-se na definição dos temas em destaque?

A proposta deste Ciclo de Workshops nasceu no seio do Departamento, no entanto todas as empresas envolvidas mostraram-se, desde o primeiro momento, disponíveis para colaborar, tendo considerado o programa muito interessante e atual

No seu entender, qual é o valor acrescentado desta formação?

O valor é grande e esperamos que as empresas, sobretudo as PME, e os seus profissionais percebam a importância das temáticas, uma vez que se sabe que muitas ainda não usam as melhores práticas em projetos de intervenção de SI/TI, encontrando-se ainda em níveis de maturidade muito baixos.

O Ciclo de Workshops “Estado de Arte em…” decorrerá nos meses de outubro, novembro e dezembro, à quarta-feira, entre as 17h30 e as 20h, no Auditório 201. Os temas em debate serão: BPM (16/10), PMI (30/10), Cobit (6/11), CMM-SEI (27/11), IIBA (4/12) e ITIL (18/12). A entrada é livre, mediante a inscrição prévia aqui.
 


“Vale a pena estudar”

A Aula Magna esteve repleta na Sessão de Acolhimentos dos novos estudantes da Universidade Portucalense, naquele que é o primeiro dia de um novo e irrepetível percurso de vida.

“A vida na Portucalense irá absorver, seduzir e fazer parte da vossa vida. Em breve irão entrar no mercado de trabalho e a saudade vai ficar”, começou por indicar Armando Jorge de Carvalho, presidente da cooperativa. Referiu ainda que a “boa imagem da universidade no mercado de trabalho, facilita a empregabilidade dos estudantes”, sendo propósito da instituição “formar jovens com valores que sejam cidadãos exemplares e possam contribuir para o desenvolvimento do país”.

O reitor Guilherme de Oliveira sublinhou que “estudar continua a valer a pena”, sendo “essencial contrariar a ideia errada de que não vale a pena investir na educação. Todos os estudos mostram que os diplomados em Portugal e na Europa têm mais probabilidade de encontrar emprego”, apontou. Para o reitor, o facto de a Universidade Portucalense ser reconhecida como uma “instituição de interesse público” é algo que está sempre presente na ação do dia-a-dia de docentes e colaboradores.

O dia 18 de setembro de 2013 foi a data que assinala a ligação entre os novos estudantes e a Universidade Portucalense: “alunos e universidade estão irremediavelmente ligados durante toda a vida”, sintetizou Guilherme de Oliveira.

A cerimónia contou ainda com as atuações das tunas feminina e académica.
 


UPT inaugura Clínica de Conservação e Restauro

A nova Clínica de Conservação e Restauro inaugurada recentemente, no topo do jardim e entrada do ‘campus’, tem como objetivo principal fazer da Universidade um ‘player’ nacional na salvaguarda do património das cidades e centros históricos, diariamente visitados por milhares de turistas nacionais e internacionais.

O novo espaço visa também integrar os estudantes mais próximos das salas de aula que conferem apoio aos laboratórios de Conservação e Restauro e apoiar dois grandes protocolos, a ser ultimados, que requerem um local capaz de responder a essas necessidades.

“A clínica pretende ser uma referência no panorama do património integrado na construção, em particular o azulejo e a cerâmica, onde já temos uma dinâmica muito interessante e onde os nossos projetos de investigação vão crescer. Queremos, também, ocupar um espaço muito importante no restauro de gráficos e na pintura, mas com principal tónica na salvaguarda desse património tão significativo para o incremento da qualidade da oferta do turismo nacional”, afirma Isabel Freitas, diretora do Departamento de Ciências da Educação e do Património (DCEP).

“Todos gostamos de ver o nosso património recuperado de forma conveniente, sem danos, quer os portugueses quer os turistas que nos visitam e os nossos cursos desta área têm consciência de que participaram nessa formação, concedendo aos alunos saberes que lhes permitem agir com rigor e com preocupação pela autenticidade histórica e patrimonial”, explica Isabel Freitas.

Para além do investimento significativo já efetuado no edifício, a UPT pretende, ainda, investir em estudos, divulgação de património, construção de inventários e de equipas multidisciplinares, que trabalhem a salvaguarda do património, a conservação, o restauro, o turismo e a gestão cultural.

Joana Teixeira, uma das docentes que trabalhará no novo laboratório, refere que serão dadas a conhecer as boas práticas em áreas como a cerâmica e azulejo, pintura e documentos gráficos. Atualmente, o projeto integra três técnicos de cada área de especialização, sendo que as perspetivas de crescimento passam pelo aumento de estágios laboratoriais desenvolvidos pelos estudantes, assim como projetos paralelos com outras instituições.
 


Estudantes premiados com bolsas de estudo

A Universidade Portucalense atribuiu Bolsas de “Mérito Escolar” e de “Promoção da Qualidade” a estudantes que se destacaram pela excelência escolar no ano letivo 2012/2013. Estes prémios pretendem reconhecer o mérito. “Vale a pena ser bom aluno na UPT”, sublinhou a vice-reitora, Paula Morais, na cerimónia de entrega dos prémios.

As bolsas de “Mérito Escolar” destinam-se a alunos de cada ano de cada um dos cursos do 1º e 2º ciclo de estudos que tenham obtido a classificação mínima de catorze valores, sem recurso ao arredondamento, com aprovação a todas as unidades curriculares do plano curricular. Foram premiados com esta bolsa: Ana Santos (Mestrado em Psicologia Clínica), Anabela Almeida (Economia), Cátia Gonçalves (Solicitadoria), Daniela Caldas (Gestão), Diana Esteves (Direito), Eduardo Castro (Conservação e Restauro), Helena Silva (Gestão), Joana Carvalho (Turismo), Maria Pinto (Educação Social), Marta Rodrigues (Psicologia), Patrícia Borges (Direito), Raissa Atzingen (Psicologia), Sara Oliveira (Economia) e Verónica Moura (Educação Social).

As bolsas de “Promoção da Qualidade” dirigem-se a alunos que concluíram o Ensino Secundário com uma média final não inferior a 16 valores e se matricularam em cada um dos cursos do 1º ano do 1º ciclo de estudos da UPT. Cinco estudantes foram distinguidos neste âmbito: Ana Rita Ferreira (Direito), Anabela Meireles (Direito), Fábio de Sousa (Gestão), Filipe Ribeiro (Economia) e João Castilhos (Direito).
 


Obra de docente traduzida em coreano

“Learning to use statistical tests in psychology”, livro de Manuela d’Oliveira, docente da Universidade Portucalense, em coautoria com Judith Greene, foi recentemente traduzido em coreano – já era lido em Francês, Italiano e Espanhol. Em Inglaterra, onde foi publicado em 1982, vai já na terceira edição e na 13ª reimpressão.

Manuela d’Oliveira considera que o êxito do livro, à escala global, se deve ao facto de ter sido “o primeiro livro, no âmbito da Psicologia, pensado na perspetiva de os alunos não terem que saber estatística para escolher o teste certo e interpretar os resultados”. A Ordem dos Psicólogos inglesa recomendou-o “a todos os estudantes de psicologia que procuram uma introdução à metodologia estatística”.

Manuela d’Oliveira licenciou-se e doutorou-se em Psicologia, em Inglaterra. Regressou a Portugal e está na Universidade Portucalense desde 2007. Leciona Métodos de Investigação, Psicologia Social e Estatística I e II.








 


Preparação em Admissão ao CEJ

Estão abertas as candidaturas à 25ª edição do “Curso de Preparação em Admissão ao CEJ” até 31 de dezembro. O início do curso está previsto para o dia 13 de janeiro de 2014.

O curso coordenado por Gil Moreira dos Santos pretende preparar os candidatos para o exame de acesso ao Centro de Estudos Judiciários, através da atualização e renovação de conhecimentos, com ênfase na aplicação prática do Direito, em especial, com recurso à análise e crítica da jurisprudência.

O curso que comemora este ano 25 anos de vida foi já frequentado por mais de 3000 candidatos à magistratura. A sua duração é de cinco meses e existem 120 vagas disponíveis.


 


Percurso

Vencedora aposta na Administração Hospitalar

Anabela Costa Almeida, estudante do 3º ano da licenciatura em Economia, venceu a 3ª edição do Prémio “XZ Consultores”. A curto prazo pretende concluir os estudos e enveredar pela Administração Hospitalar.

“Há decisões que têm de ser tomadas, no sentido de rentabilizar ao máximo os recursos do próprio hospital para que se obtenha lucro, mas tendo sempre em conta a vertente social. Além do lucro que é importante, há sempre o desafio de pensar no melhor para as pessoas e tentar conciliar essas opções com as que permitem maior lucro para a instituição”, defende.

Foi a melhor aluna a quatro unidades curriculares abrangidas pelo prémio - Organização de Empresas, Planeamento Empresarial, Finanças Empresariais e Análise Financeira e de Projetos – com uma média de 17,4 valores e, por isso, foi a vencedora.

“Sei que é um cliché responder que vencer este concurso se deve ao esforço, trabalho e dedicação, mas são realmente aspetos fundamentais para ter sucesso. Claro que uma parte importante é também o gosto pelo curso, o facto de se ter objetivos definidos, saber para onde quero ir e o que quero ser e fazer. No entanto, acho que o mais importante é tentar cumprir sempre os objetivos no final de cada semestre, não deixando nada pendente para que não se torne mais complicado”.

Revela que a escolha de Economia decorre de “um gosto de criança, sempre gostei de racionar os recursos, tentar encontrar sempre a melhor solução, a mais rentável. À medida que fui crescendo percebi que se tratava de muito mais que isso, principalmente nos tempos que correm, com as dificuldades que se sentem, esta área torna-se muito mais importante”.

Considera que o curso lhe deu como ensinamento “não desistir perante as dificuldades, a seguir sempre o que gosto e quero para mim. O curso é muito importante, e nada fácil, mas dá-nos uma visão muito mais teórica da realidade. O resto será aprendido com a experiência”.

Com este prémio, Anabela ganhou um computador portátil, a participação gratuita em cursos realizados pela empresa de consultoria e a orientação profissional durante um ano após a data de conclusão da licenciatura.
 


COMUNICA UPT FICHA TÉCNICA

Periodicidade: Mensal
Coordenação Editorial: Ana Aires Duro
Email: comunicaupt@upt.pt

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)
Por favor dispense alguns minutos para responder a umas perguntas rápidas sobre o nosso website.