Como chegar
|
Contactos

Artigos da Newsletter Institucional setembro 2013

Nº27 – setembro 2013
Destaques

Proximidade determina opção de estudar no privado

A UPT realizou um estudo junto dos estudantes do 1º ciclo de estudos para perceber quais as razões que os levaram a escolher a universidade e também porque optam pelo ensino superior privado.

De acordo com os resultados, 53% dos alunos apontam a proximidade do local de residência como o principal fator de escolha, seguido da qualidade do ensino ministrado (25%) e do aconselhamento por terceiros (22%).

A investigação revela ainda que alguns alunos ingressaram no ensino superior privado por terem familiares ou amigos a frequentar a instituição ou ainda pela possibilidade de estudarem em horário pós-laboral. De destacar que, de acordo com os dados, 66% dos casos é a família que suporta as despesas de educação, havendo várias situações em que os estudantes trabalham e estudam em simultâneo.

"Este inquérito é apenas um dos vários modos que queremos usar para colocar os estudantes no centro da nossa organização. Desta vez queremos saber as razões porque nos escolhem, para podermos aumentar essas razões no ano que vem", declara o reitor Guilherme de Oliveira.

Cláudia Carvalho, docente da Universidade Portucalense, afirma que "a proximidade é um valor fundamental, sobretudo na atual conjuntura económica e social que leva os jovens a optarem por um estabelecimento no seu local de residência”.

A docente explica ainda que "o gasto médio mensal dos estudantes da Universidade Portucalense ronda os 500 euros mensais", o que acaba por "compensar em grande medida os custos que teriam se frequentassem uma universidade pública fora da sua área de residência."
 


Receção dos novos estudantes

No próximo dia 18 de setembro, às 18h, a Aula Magna será o palco da sessão de boas-vindas aos novos estudantes e às suas famílias. Esta cerimónia cumprirá a tradição de ser emotiva e assinalar o "primeiro dia" de um percurso determinante para o futuro.

O presidente da direção, Armando Jorge de Carvalho, e o reitor da Universidade, Guilherme de Oliveira, serão os responsáveis pela abertura da sessão de acolhimento que contará com atuação dos vários grupos académicos da Universidade, nomeadamente o coro e as tunas académica, feminina e veterana.

Já às 16h decorrerá no átrio do Infante a receção dos novos estudantes de Erasmus e internacionais que serão recebidos pelo Gabinete de Relações Internacionais e pelos alunos "buddies". Este encontro será assinalado com um lanche muito especial com iguarias de todos os países de origem dos novos estudantes - Brasil, Espanha, Itália, Lituânia, Polónia e Turquia.
 


Como a tecnologia mudou a comunicação política

Os quatro candidatos independentes às autarquias do Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos e Gondomar, Rui Moreira, Guilherme Aguiar, Guilherme Pinto e Fernando Paulo, respetivamente, debatem "A política no século XXI: dos cartazes às redes sociais", no dia 19 de setembro, às 18h30, na Aula Magna.

O seminário será moderado pelo jornalista Germano de Almeida, autor dos livros "Histórias da Casa Branca" e "Por Dentro da Reeleição", que tem estudado a comunicação política, nomeadamente as implicações da utilização da Internet e das redes sociais na reeleição de Barack Obama a presidente dos Estados Unidos da América.

Os novos meios de comunicação estão a mudar, por completo, a forma de fazer política. As duas eleições de Barack Obama foram o exemplo mais notório da importância que as redes sociais podem ter na transmissão da mensagem e até na recolha de financiamento das campanhas. E em Portugal, será que os nossos políticos já deram esse salto? Podem as candidaturas independentes ultrapassar a desvantagem financeira em relação às máquinas dos principais partidos através de um uso eficaz destes novos instrumentos de comunicação e partilha?

A tecnologia veio impor à comunicação política novos desafios e será a partir desse propósito que a Universidade Portucalense traz ao debate quatro candidatos independentes a presidentes de Câmara e um jornalista que esteve por dentro da campanha eleitoral de Barack Obama de 2012.
 


DICT reforça a internacionalização em 2014

Isabel Seruca, docente do Departamento de Inovação, Ciência e Tecnologia (DICT), tem dirigido a participação da Universidade Portucalense em projetos de “Erasmus intensivos” (IP). Desde 2005 até ao momento contam-se sete participações nas áreas de “IT development”, “Business Intelligence” e “Web Mining” e para 2014 já estão previstos mais duas edições. A “Comunica UPT” falou a este propósito com Isabel Seruca.

Comunica UPT: Em que medida a participação em projetos IP é relevante para o projeto pedagógico e científico do DICT?

Isabel Seruca: A participação em programas IP constitui uma contribuição muito relevante, em primeiro lugar, a nível do potenciamento da internacionalização da Universidade e do departamento, em particular, permitindo estabelecer novos contactos e parcerias com instituições de ensino superior europeias envolvidas e reforçar as relações já existentes. Em segundo lugar, ao nível do programa técnico e científico, uma vez que estes projetos exploram tipicamente uma área emergente no âmbito dos Sistemas e Tecnologias de Informação, permitindo um aprofundamento das temáticas pelos alunos e docentes envolvidos, tendo já resultado em oportunidades para definir projetos e unidades curriculares, no âmbito da oferta pedagógica de pós-graduação do DICT. É igualmente uma oportunidade para os alunos trabalharem em equipas multiculturais e com “backgrounds” e competências técnicas diversos.

Qual o balanço que faz das sete participações?

O balanço destas participações tem sido muito positivo e tem contribuído para potenciar as parcerias e a internacionalização. Como resultado destas participações, organizamos no ano passado o “IP WISDOM 2012” que envolveu 10 instituições de ensino superior europeias e cerca de 70 participantes (60 estudantes e 10 docentes). O projeto visou diferentes tópicos da área de “Web Mining” e contou com a colaboração da empresa Marques Soares que nos disponibilizou a plataforma tecnológica de vendas “on-line” para análise. Foi ainda promovido um congresso de “Business Intelligence”, uma das nossas áreas de “expertise”, com apresentações de diferentes empresas da área das Tecnologias de Informação. Acredito que foi devido ao nosso bom desempenho que surgiu o convite para integrarmos duas candidaturas a dois novos projetos IP, entretanto aprovados, que terão início em 2014.

Como é que os estudantes do DICT encaram estas iniciativas?

Notamos que os estudantes demonstram muito interesse na participação nestas iniciativas, encarando-as como uma importante valorização dos seus currículos académicos, inclusive alguns já tiveram oportunidades de trabalho relacionadas com as competências adquiridas no âmbito destes projetos.

Quais as perspetivas de participação da UPT em próximos projetos IP?

Em 2014 está prevista a participação em dois IP – o “DaSBuG” (Data Science for Business and Government) organizado pela BA School of Business and Finance em Riga, Letónia, entre 30 de março e 12 de abril, e o “IP PROMAND” (Programming Mobile Applications for Android System) promovido pela University of Economy de Bydgoszcz, Polónia, entre 9 a 22 de março. Ambas as áreas são muito relevantes no panorama atual dos Sistemas e Tecnologias de Informação, como também nos nossos projetos pedagógico e de investigação.
 


Portucalense patrocina TEDxFeira “Criatividade Urbana”

A Universidade Portucalense patrocina a conferência TEDx Feira “Criatividade Urbana”, no âmbito da sua aposta na Cultura e Economia Criativa e do desígnio de desafiar e inspirar o empreendedorismo.

O evento realiza-se no dia 21 de setembro, na Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira, e pretende ser uma plataforma de divulgação de ideias, projetos e experiências de pessoas que sonharam alto e hoje são uma referência nas áreas em que atuam. Durante 12 horas, 16 oradores irão partilhar a sua história na primeira pessoa, a visão e as ideias essenciais para mudar as cidades, o mundo e a vida.

O programa contempla quatro sessões, cada uma com quatro intervenções - ‘talks’ -, cujos temas representam os três pilares das cidades criativas e serão anunciados em breve pela organização. Ao longo do dia decorrerão trabalhos de ‘networking’ para partilhar o conhecimento e potenciar novas oportunidades de negócio.

Destacam-se entre os oradores Leonel Moura, artista pioneiro da Arte Robótica, Carlos Martins, presidente da ADDICT (Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas) e ex diretor executivo da “Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura”, Ljubomir Stanisic, “chef” de cozinha, e Catarina Selada, diretora do Departamento de "Cidades & Territórios" da INTELI ( Inteligência em Inovação, Centro de Inovação) e coordenadora da Rede RENER – Living Lab para a Inovação Urbana.

Os organizadores do TEDx Feira, Bruno Costa e Daniel Vilar, afirmam que o objetivo da conferência “é inspirar as pessoas a darem novos passos e sensibilizar para a importância do desenvolvimento de cidades criativas e inovadoras, em que cada habitante/visitante pode deixar a sua marca e participar na transformação das cidades em espaços ativos e dinâmicos”.

“Construir as cidades das próximas gerações implicará pensar em lugares criativos, em novas formas de desenvolvimento económico em pessoas que conseguem dar cartas, lutar pelos seus sonhos, agarrar os objetivos, perspetivar oportunidades e atingir resultados. Acreditamos que estas pessoas podem inspirar outras no sentido de fazer acontecer e, por essa razão, acreditamos que esta conferência será uma experiência única”.

As inscrições estão ainda abertas. O custo de inscrição é de 30 euros, com almoço incluído. Mais informações sobre a conferência e o processo de inscrição poderão ser obtidas através do website www.tedxfeira.com e do email tickets@tedxfeira.com.
 


Soluções em tempos de crise

Rui Correia de Carvalho, administrador da Barão de Vilar, João Freitas, fundador e diretor criativo da Mezzo Lab, e Manuel Serrão, administrador da Seletiva Moda, partilharam algumas das soluções de gestão empresarial em tempos de crise, no último dia 12 de setembro, na Universidade Portucalense.

Os gestores apresentaram as seguintes comunicações: “Quando o trabalho de casa é feito o sucesso acontece: uma experiência de internacionalização no setor dos vinhos” (Rui Correia de Carvalho); “Gestão criativa - uma ferramenta de marketing" (João Freitas) e “A indústria nacional da moda em tempos de mudança: o desafio da internacionalização” (Manuel Serrão).

No final foi oferecida “‘uma surpresa com Vinho do Porto”, uma cortesia da Barão de Vilar - Vinhos, S.A.
 






Percurso

Da tecnologia à liderança

Em 2005, André Oliveira licenciou-se em Informática de Gestão na Universidade Portucalense. Durante os estudos trabalhou na universidade, na qualidade de bolseiro, reparando computadores ao nível de ‘hardware’ e ‘software’. Foi responsável pela sala “Universia” e participou ainda ativamente na Associação de Estudantes. Só soube o que eram férias há poucos anos atrás. Hoje é “Developer” na multinacional canadiana CGI.

A sua carreira tem-se centrado no “coder de amplo espectro”, mas revela que “um dia gostava de trabalhar em gestão de projetos, fazer uma experiência profissional no estrangeiro, se possível em Londres, e “colocar a tecnologia e a inovação ao serviço de projetos com impacto positivo na sociedade”.

Na Universidade compreendeu que “há sempre muito para aprender e que o curso não dá soluções mas, sim ferramentas para se conseguir chegar às mesmas”. Conta-nos que tem como lema de vida “não estar parado, porque como diz o ditado parar é morrer” e, por isso, sempre esteve e está envolvido em múltiplas atividades.

Estudou bateria e percussão na Escola de Jazz do Porto e no Conservatório de Música do Porto. Diz que a música o ensinou a “estar atento, saber ouvir, ser um melhor espectador porque também é importante existir uma plateia que saiba principalmente ouvir”.

Apesar de a Informática e as Tecnologias de Informação estarem na base da sua especialização profissional, André Oliveira procurou sempre “entrar” em outras áreas de conhecimento, através da leitura e da participação em conferências. Em 2009 ao assistir a um ‘workshop’, conheceu Carlo Van Tichelen, consultor de marketing estratégico, que lhe apresentou a JCI - Junior Chamber International, uma associação internacional de jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos, especializada no desenvolvimento da Liderança e Empreendedorismo e promoção da Cidadania.

A sua entrada para a associação JCI Portugal permitiu-lhe viajar pelo mundo - Turquia, Espanha, Roménia, Luxemburgo, Japão, Mónaco - participar em academias e representar o país. Em 2011, por exemplo, viajou para o Japão, onde integrou a Academia de Liderança da JCI. Durante uma semana apreendeu o “sentido de comunidade” e comprovou que “a energia de grupo é transformadora” com cerca de 70 delegados de todo o mundo.

Este ano, André foi eleito presidente da JCI Portugal e irá representar o país, em novembro próximo, no Rio de Janeiro, Brasil, no congresso mundial que envolverá mais de 6000 participantes de mais de 80 países.

Considera que tem uma “aptidão natural para liderar pessoas, coordenar processos e potenciar o talento individual e coletivo”. Entende que “ser um bom líder passa por conhecer bem os jogadores da equipa e lançar desafios e objetivos que lhes encham as medidas, pois só assim a remuneração é encarada como uma compensação e não um estímulo".

Para aqueles que procuram entrar no mercado de trabalho, André deixa um conselho para se ser bem-sucedido: “identificar as oportunidades e enfocar nas soluções e não nos problemas”.
 


COMUNICA UPT FICHA TÉCNICA

Periodicidade: Mensal
Coordenação Editorial: Ana Aires Duro
Email: comunicaupt@upt.pt

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)
Por favor dispense alguns minutos para responder a umas perguntas rápidas sobre o nosso website.