Como chegar
|
Contactos

Artigos da Newsletter Institucional setembro 2016

Nº60 – setembro 2016
Destaques

Portucalense volta a crescer

A cerimónia de integração dos novos estudantes da Universidade Portucalense, no dia 19 de setembro, teve como pontos altos o lanche internacional, que reuniu os 38 estudantes Erasmus à volta de uma mesa com algumas das tradições gastronómicas de cada um dos países representados, e a sessão de acolhimento aberta às famílias, com as habituais intervenções da Direção e da Reitoria.

Na ocasião, Armando Jorge de Carvalho, presidente da Direção, anunciou que “a universidade voltou a crescer, ao registar um aumento de 10% do número de alunos face ao ano anterior”. Um incremento que, no seu entender, se justifica com o “capital de prestígio adquirido” e “aumenta a responsabilidade de tornar a excelência num desafio permanente”. Sublinhou ainda que os novos alunos devem encarar a universidade como “o início de um novo ciclo de vida irrepetível” e o local onde se começa a construir o futuro.

Para o Reitor, professor Alfredo Marques, “a escolha da Universidade Portucalense para a construção de um futuro é um sinal de confiança na instituição” e elencou como fatores decisivos: “a relação próxima com o mercado de trabalho, através da realização de estágios e ‘workshops’ com empresários de sucesso, a dinâmica académica, o ambiente próximo entre o estudante e o docente e a exigência educativa”.

O evento ficou ainda marcado pela entrega dos prémios Santander, XZ Consultores e Brand Zone e bolsas de promoção da qualidade e mérito aos estudantes que se destacaram pelo bom desempenho académico no ano letivo 2015-2016. O encerramento, como é tradição, foi assinalado com a atuação da Tuna Académica.


“Sunset Portucalense” integra caloiros

De 19 a 23 de setembro, a Universidade Portucalense organizou a Semana de Receção para os novos estudantes, que incluiu apresentações de docentes e dos departamentos da universidade, visitas guiadas às instalações, seminários para desenvolvimento de soft-skills e trabalhos de grupo.

No entanto, o evento inédito foi o “Sunset Portucalense”, no final da tarde de 20 de setembro, animado por um DJ convidado e pelo porco no churrasco. Este momento descontraído e marcado pela boa disposição, foi uma oportunidade para os caloiros se conhecerem melhor e integrarem-se na vida académica. A iniciativa teve o apoio da Associação de Estudantes.



Cuba na estreia das Relações Internacionais

A Embaixada de Cuba participou no programa de acolhimento dos estudantes da 1ª edição da licenciatura em Relações Internacionais, com a conferência intitulada “Relações entre Cuba e Estados Unidos: perspetivas e desafios” e a exposição fotográfica “Para não esquecer” sobre a restauração da cidade de Havana.

Melne Martínez, Primeiro Secretário da Embaixada, abordou a origem do conflito entre os Estados Unidos e Cuba e a atual situação das relações bilaterais entre os dois países, assim como a vigência das principais leis e disposições administrativas associadas ao bloqueio económico, comercial e financeiro sobre Cuba.

A exposição fotográfica, patente até 3 de outubro no Átrio do Infante, mostra a obra de restauração do centro histórico da capital cubana, com fotografias de antes e depois, um projeto que foi desenvolvido ao longo de décadas pela Oficina do Historiador da Cidade de Havana.


“Voltar a estudar é sair da zona de conforto”

Zulmira Montenegro voltou à universidade para estudar Gestão, depois de uma licenciatura na área da Educação, conjugando assim os estudos com a coordenação de um ‘call center’ e de serviços administrativos de uma microempresa. Em entrevista à “Comunica UPT” revela que o sucesso acontece se “gostarmos do que fazemos”.

Comunica UPT: Quais as motivações que a levaram a retomar os estudos?
Zulmira Montenegro:
As motivações que me levaram a retomar os estudos foram a necessidade de aprofundar os meus conhecimentos, no âmbito da Gestão, e a validação que um curso superior nesta área daria à minha experiência profissional.

Porque é que escolheu Gestão?
Gestão é uma área que já fazia parte da minha vida profissional, embora apenas detendo um conhecimento empírico e pouco sustentado. Investir nesta complementaria o “fazer” que já possuía, com o “saber” e o “saber fazer”.

Qual o balanço que faz desta experiência?
Está a ser uma experiência bastante positiva que superou as minhas expectativas iniciais. Ao retomar os estudos, cresci muito a nível pessoal e profissional, saí da minha zona de conforto e conheci jovens espetaculares e docentes excelentes.

O que mais a surpreendeu no curso e na universidade?
Quando me inscrevi na licenciatura, procurava adquirir uma base mais sólida de conhecimento, que me permitisse exercer a minha atividade de uma forma mais profissional. No entanto, para além disso, encontrei disciplinas muito interessantes e formas de viver a Gestão inovadoras e motivadoras. Na Universidade Portucalense, o que mais me surpreendeu foi a disponibilidade dos docentes. Atrevo-me a dizer que o aluno pode, a quase todo o momento, abordar o docente sobre a temática curricular, obtendo sempre esclarecimentos. A minha experiência como aluna no ensino superior público, por onde gostei muito de passar, revelou que a disponibilidade para o aluno, em horário extracurricular, é muito reduzida, quase nula. Talvez por este facto, um dos pontos que mais me surpreendeu, aqui, foi essa ligação docente-aluno.

Qual a chave do sucesso para conciliar trabalho, vida académica e estudos?
Confesso que os resultados que alcancei até ao momento, neste trajeto académico, estão muito acima do que julguei ser possível. Pensando um pouco mais sobre a chave de sucesso, identifico como essencial “gostar do que fazemos”. Quanto mais gostarmos do que fazemos, mais fácil é atingir os objetivos que traçamos e até ultrapassá-los. Para além desta primeira e principal chave para o sucesso, aponto a gestão do tempo. Só com uma boa gestão do tempo é possível conciliar família, amigos, trabalho, vida académica e estudos. E aqui, tomo a liberdade de deixar um pequeno conselho a todos os colegas: quando estiverem na sala de aula, estejam, isto é, em tudo o que façam na vida estejam atentos ao momento. Se é para aprender, aprendam; se é para se divertir, divirtam-se; se é para trabalhar, trabalhem. O dia, que tem 24 horas, passará a ter 48 e poderão fazer tudo o que vos apetecer, mas no tempo e no local certos.

Nos próximos cinco anos, quais os desafios profissionais que gostaria de abraçar?
Nos próximos cinco anos, gostaria de abraçar uma carreira profissional que me permitisse aplicar grande parte do conhecimento teórico e prático adquirido no curso de Gestão, quer continuando ligada à área das comunicações, quer enveredando por uma vertente industrial. A Gestão de Recursos Humanos é uma área que me apaixona, até pela minha formação anterior, direcionada para o ensino, bem como o ‘coaching’ e desenvolvimento pessoal. Identifico-me também com Marketing e Contabilidade. Uma das surpresas deste curso foi ter-me mostrado um leque variadíssimo de áreas de futuro.

No seu entender, porque é importante regressar aos estudos?
Retomar os estudos é voltar a investir em nós. É sair da zona de conforto, para lutar pelos nossos objetivos, pelo que se ambiciona. Se pretendemos ser melhores profissionais, então temos de nos valorizar, de aprender, de estudar. É investir na formação académica, não apenas com o objetivo de termos um curso superior, mas com o propósito de absorver o máximo de conhecimento, tornando-nos melhores pessoas, mais capazes e excelentes profissionais.


Professores universitários em ‘burnout’

Mais de 60% dos professores universitários sofrem de ‘burnout’, um estado de exaustão decorrente do ‘stress’ do trabalho, segundo um estudo de Ana Rita Ferreira, no âmbito do Mestrado em Psicologia da Universidade Portucalense.

A investigação que abrangeu professores de quatro instituições de ensino superior do Porto demonstra que “as universidades devem dar mais importância aos relacionamentos dos professores universitários com a liderança direta e com a gestão de recursos humanos como fator promotor de saúde mental”.

Os resultados do estudo indicam que o stress inerente à função e cargos que cada docente ocupa está diretamente associado ao ‘burnout’ e que não é a fadiga cognitiva, mas sim a fadiga física e a exaustão que são apontadas como os principais factores de desencadeamento deste quadro.

Os dados apoiam a necessidade de rever as funções que o professor deve desempenhar dentro da instituição e a devida carga horária, favorecendo o desempenho do professor e o bem-estar, sendo especialmente relevante os relacionamentos dos professores universitários com a gestão.

O estudo mostra que cada docente trabalha mais horas (16 horas) do que a carga horária recomendada, sendo obrigados a conciliar aulas com investigação, podendo acumular funções burocráticas ou de maior responsabilidade como é o caso de 60% dos inquiridos, ou a coordenação de um determinado curso ou departamento da universidade, como são 42% dos docentes participantes no inquérito.


UPT ofereceu três bolsas de estudo, no âmbito de protocolo com a CMP

A Universidade Portucalense acolheu três estudantes, no âmbito das Bolsas de Estudo para o Ensino Superior, destinadas a alunos das escolas públicas do Porto beneficiários da ação social escolar, e integradas no programa educativo municipal "Porto de Conhecimento".

Ao todo foram seis os alunos do 12º ano contemplados com bolsas de estudo para poderem prosseguir estudos no Ensino Superior, entregues pela vice-presidente da Câmara do Porto, Guilhermina Rego, numa cerimónia que decorreu nos Paços do Concelho.

O projeto Bolsas de Estudo para o Ensino Superior está integrado no programa educativo municipal "Porto de Conhecimento" e tem como objetivos promover a igualdade de oportunidades dos jovens no acesso ao ensino superior, contribuir para a fixação da população jovem qualificada na cidade e promover incentivos e estímulos para fomentar a educação/formação ao longo da vida da população residente.


Procuram-se voluntários para o “Porto de Futuro”

A Universidade Portucalense juntou-se ao programa “Porto de Futuro”, organizado pela Câmara Municipal do Porto, que promove o envolvimento da sociedade civil com as escolas da rede pública do Porto. No âmbito desta iniciativa, o “Voluntariado Estudantil” pretende contribuir para minimizar dificuldades de aprendizagem e situações de abandono escolar.

Neste sentido, a Portucalense está à procura de estudantes que pretendam ser mentores de alunos do 2º e 3º ciclo do ensino básico da Escola do Cerco. Esta é a oportunidade para fazer a diferença na vida de alguém e contribuir para uma sociedade mais coesa e equilibrada.

Este projeto é implementado e suportado, segundo uma lógica tutorial - um voluntário responsável por, no máximo, dois alunos, com encontros semanais com duração mínima de 90 minutos.

Os estudantes da Universidade Portucalense interessados devem enviar as candidaturas até 7 de outubro para o Gabinete de Apoio ao Aluno, através do endereço de email gaa@upt.pt, com a seguinte informação: nome completo, número de estudante, curso, contactos de telefone e correio eletrónico.


Ciclo de Formações gratuitas

O regresso ao estudo traz muitos desafios e o Gabinete de Apoio ao Aluno promove um Ciclo de Formações que visa apoiar os estudantes no seu desenvolvimento pessoal, estimulando e aumentando as suas competências.

Métodos de Estudo (3 e 4 de outubro), Gestão do tempo e do estudo (11 e 12 de outubro), Ansiedade e Avaliações (18 e 19 de outubro) e Técnicas de Comunicação Oral e Escrita (25 e 26 de outubro) são os temas previstos.

As sessões irão decorrer entre as 14h e as 16h na sala 313, no piso 3. As inscrições podem ser efetuadas até às 12h do dia anterior à formação através do email gaa@upt.pt, com a indicação do nome, curso e ano.


Mestrados: candidaturas abertas

O Mestrado e a Formação Avançada são a opção natural para quem procura uma especialização ou um conhecimento complementar para construir um percurso académico e profissional de sucesso. A 3ª fase de candidaturas decorre até 21 de outubro.

No ano letivo 2016-2017, a Universidade Portucalense apresenta 14 Mestrados e Formações Avançadas nas áreas de Direito, Gestão, Economia, Informática, Educação, Psicologia e Turismo.

Destaque para os novos mestrados em Ciência Jurídica Forense, Turismo e Hospitalidade e a Formação Avançada em “Green Tourism”.

Todos os cursos têm parcerias com empresas e entidades de referência dos vários setores de atividade, possibilitando aos mestrandos um contacto direto com o mercado de trabalho e o desenvolvimento das competências mais procuradas pelos empregadores.


Preparação para Admissão ao CEJ

Até 14 de outubro estão abertas as candidaturas à 27ª edição do Curso de Preparação para o Exame de Admissão ao CEJ - Centro de Estudos Judiciários, coordenada por Gil Moreira dos Santos.

A formação dirige-se aos candidatos que pretendam realizar esta prova, mas também a profissionais do Direito que procurem uma atualização e renovação de conhecimentos, com ênfase na aplicação prática do Direito, em especial, com recurso à análise e crítica da jurisprudência.

Mais de 3000 candidatos à magistratura já frequentaram esta formação que foi a primeira a ser lançada em Portugal. O corpo docente de elevada preparação garante uma informação atualizada e uma predisposição para a abordagem dos temas da vida judiciária, no momento da prestação de prova de ingresso, assim como durante a frequência do curso, como é reconhecido pelos destinatários e a elevada percentagem de aprovação.





COMUNICA UPT FICHA TÉCNICA

Periodicidade: Mensal
Coordenação Editorial: Ana Aires Duro
Email: comunicaupt@upt.pt

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)
Por favor dispense alguns minutos para responder a umas perguntas rápidas sobre o nosso website.