Como chegar
|
Contactos

Newsletter DPE, fevereiro 2016

Ano 2, número 1, fevereiro 2016

Ficha Técnica
Diretora: Cristina Costa Lobo
Coordenação editorial: Manuela Barreto Nunes
Colaboram neste número: Ana Conde, Cristina Costa Lobo, Ana Teresa ferreira, Filipa Marinho, Manuela Barreto Nunes, Ana Santos
 

 

 

 

Sumário

Editorial

Notícias

Atividades do DPE

Investigação

Entrevista: 4 perguntas a…

Biblioteca Geral: Novidade Bibliográficas

Leituras Recomendadas

 

 

Editorial

 

Cristina Costa Lobo

Diretora do Departamento de Psicologia e Educação

 

 

Duas licenciaturas, três mestrados, vários cursos de pós-graduação e formação avançada, um centro de investigação em fase de acreditação junto da FCT e quatro novos cursos, três de doutoramento e um de mestrado aguardando aprovação; 27 dissertações de mestrado e 10 teses de doutoramento defendidas no último ano; um corpo docente que junta a juventude à experiência, e alunos de excelência: eis o retrato do Departamento de Psicologia e Educação no início de 2016, bem demonstrativo do dinamismo e capacidades necessárias para enfrentar e vencer os novos desafios do ensino superior e da investigação em Portugal.

No início do segundo semestre do ano letivo de 2015/16, vimos de novo ao contacto da comunidade académica apresentando notícias e novidades que retratam a atividade do nosso DPE. Falamos de sucessos académicos, de um novo centro de investigação, de projetos de investigação aplicada de nível internacional, recomendamos leituras e inauguramos uma nova rubrica, “4 perguntas a…”, que neste número entrevista a professora e investigadora brasileira Marta Helena Freitas, que recentemente nos visitou.

A todos desejamos um segundo semestre pleno de sucessos académicos, recheado de novas aprendizagens e dessa prenda única que uma Universidade tem para oferecer a cada um de nós e ao mundo, e que é a produção de novo conhecimento.

 

 

Notícias:

Novo doutoramento em Educação

 

Doutora Ana Sílvia Albuquerque

Docente do Departamento de Psicologia e Educação

Sabia que a Presidente do Conselho Científico da UPT, já em terceiro mandato consecutivo, e sempre eleita pelos pares, defendeu em setembro passado o seu segundo doutoramento? Doutora em História pela Universidade Portucalense desde 2005, a Professora Ana Sílvia Albuquerque Nunes Allegro de Magalhães concluiu novo doutoramento, desta feita em Educação, tendo obtido a classificação máxima, atribuída por unanimidade por um júri constituído por eminentes personalidades da História da Educação em Portugal.

«Lucere et Fovere» - Congregação das Irmãs Hospitaleiras (CONFHIC): um estudo sobre o ideário educativo da Cofundadora Beata Maria Clara do Menino Jesus» é um trabalho original e inovador que esclarece e discute o ideário educativo da cofundadora da CONFHIC, Libânia do Carmo Galvão Mexia de Moura Telles e Albuquerque, indagando sobre a viabilidade desse ideário católico na sociedade contemporânea. O estudo, de cariz qualitativo, foi realizado em três dimensões: na primeira, de cariz vivencial, explorou a experiência de alunos e professores da Escola da CONFHIC no que diz respeito aos métodos de ensino e às relações interpessoais, procurando compreender as marcas deixadas em cada um ao longo do seu percurso na Escola; na segunda, de teor social, explorou o impacto do projeto educativo na vida pessoal, profissional e social dos participantes no estudo; por último, na dimensão crítica, analisou a viabilidade do projeto educativo da CONFHIC no mundo atual, sempre do ponto de vista dos entrevistados.

Um estudo a ler, pela frescura com que um olhar dos nossos dias, marcado pelo rigor científico e pela elegância da escrita, apresenta e discute a importância que ainda hoje podem ter ideias antigas que demonstraram resultar em sucesso educativo e equilíbrio pessoal e social naqueles que as viveram e vivem.

 

 

 

Atividades do DPE

Encontro Científico de Psicologia

 

 

 

 

Entre os dias 10 e 11 de março decorre o VII Encontro Científico de Psicologia "Troca de Ideias entre Mestres a meio Caminho do Mestrado", integrado na unidade curricular de Dissertação do 2º ano do Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde. 

O encontro é aberto a toda a comunidade científica e académica interna e externa à Universidade Portucalense, constituindo-se uma oportunidade para os estudantes finalistas do Mestrado em Psicologia apresentarem os seus projetos de investigação e discuti-los com os membros de um painel de investigadores de reconhecido mérito na área de especialidade em que os trabalhos incidem. Mais informação aqui: http://www.uportu.pt/noticia.php?n=2049 

 

 História da Psicopatologia e da Psicoterapia: Teorias e Práticas

 A “Sociedade Espanhola de História da Psicologia” (SEHP) organiza o seu XXIX Symposium anual na Universidade Portucalense (Porto, Portugal) de 4 a 6 de maio de 2016. 

O Comité Organizador e o Comité Científico deste Symposium convidam todos os investigadores com interesse na História da Psicologia a submeterem os seus trabalhos e a divulgarem o presente “Convite para Comunicações” pelos seus contactos.

Deste modo, o Symposium constituirá uma oportunidade de difusão, debate e aprofundamento crítico de questões relacionadas com as personalidades e as instituições que, no mundo Ibero-Americano, contribuíram para a inovação teórica e prática no âmbito da compreensão/explicação psicopatológica e da intervenção psicoterapêutica. 

 

Pedagogia Penitenciária e de Reinserção Social em Ação

 

 

No âmbito da unidade curricular “Pedagogia Penitenciária e de Reinserção Social”, do 3º ano do 1.º ciclo de estudos de Educação Social, a UPT recebeu, no dia 10 de novembro de 2015, a Zélia Fernandes, Assistente Social que foi Técnica Superior de Reeducação no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira e Diretora dos Estabelecimentos Prisionais de Guimarães e de Viana do Castelo. 

Foi uma excelente oportunidade para falar às alunas sobre vários projetos educativos desenvolvidos em meio prisional, com vista à formação e reinserção social dos reclusos, e que tiveram forte impacto na sociedade civil e uma enorme adesão dos reclusos.

 

A Cartilha Maternal veio à Portucalense

No âmbito do 1º ciclo de estudos de Psicologia, os alunos da unidade curricular “Psicologia da Educação 1” receberam na sala de aula, no dia 25 de outubro, um exemplar da Cartilha Maternal criada por João de Deus.

O uso de um livro grande na sala de aula é uma ideia original de João de Deus e permite que a criança tenha uma maior e mais ativa participação no ato de ler em voz alta, desenvolvendo-lhe o conceito de leitura e habilidades pró-leitoras, utilizando estratégias de leitura do tipo “bottom-up” em sinergia com estratégias do tipo “top-down”.

Neste método de leitura, de autoria do pedagogo João de Deus, a análise e a síntese não são operações separadas, mas operações intrinsecamente ligadas; as palavras que a criança lê, ativam esquemas da sua memória que a auxiliam na compreensão do seu significado - desta forma a criança consegue fazer a integração das palavras lidas em contextos do mundo real.

Uma das características da Cartilha é o tipo de impressão adoptado nas lições - palavras segmentadas silabicamente através do recurso ao preto/cinzento, o que permite obter a decomposição das palavras sem quebrar a unidade gráfica e sonora das mesmas.

O empréstimo do exemplar da Cartilha Maternal foi feito pelo professor Frederico Neves, Diretor Executivo e Pedagógico do 1.º Ciclo do Ensino Básico do Jardim-Escola João de Deus de Vila Nova de Gaia. 

O Departamento de Psicologia e Educação da Universidade Portucalense agradece muito a amabilidade deste empréstimo.

 

Investigação

O INPP

 

 

Enrique Vasquez-Justo

Diretor do INPP

O Instituto de Neuropsicologia e Neurociências Cognitiva e Comportamental  Portucalense  (INPP) foi criado em 2015, dando cumprimento às novas exigências legais estabelecidas pelo Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior

Integrado na UPTi, estrutura de gestão da Investigação na Universidade Portucalense, tendo por missão executar a política de investigação da UPT, colaborando também, neste domínio, na execução da política de internacionalização da instituição, o INPP reconhece que a Investigação Científica é uma função primordial da instituição universitária, que a internacionalização e o reconhecimento são características intrínsecas essenciais, que o sistema português de ensino superior atravessa uma fase de reestruturação que exige uma adaptação das Instituições existentes a novas exigências de qualidade e desempenho.

O INPP apresenta uma estrutura abrangente e diversificada, pretendendo dar visibilidade à investigação produzida na Universidade Portucalense e promovendo a sua divulgação. Neste sentido, o INPP integra atualmente mais de meia centena de investigadores nacionais e internacionais de reconhecido mérito e tem estabelecidas parcerias com diversas unidades de investigação congéneres nacionais e estrangeiras.

De acordo com os Estatutos do INPP, o Instituto tem como objetivos gerais a investigação científica e a difusão do conhecimento no domínio das Neurociências e áreas conexas, bem como o ensino pós-graduado nas mesmas áreas.

 

Validação e aferição da bateria EPoC em Portugal

Developers da versão portuguesa da EPoC (Leandro de Almeida, Taisir Yamin, Daniela Costa Coimbra e Cristina Costa Lobo)

 

Em parceria com o International Center for Innovation in Education (ICIE), os professores Cristina Costa Lobo (UPT, INPP), Daniela Coimbra (ESMAE-IPP) e Leandro de Almeida (UMinho, CIEd) são responsáveis pela validação e aferição da bateria EPoC em Portugal.

Taisir Yamin (diretor geral do International Center for Innovation in Education) esteve no Porto e na Universidade Portucalense em setembro de 2015, tendo realizado o workshop “Evaluation of Potential Creativity (EPoC)”.

A bateria EPoC permite avaliar a criatividade das crianças, entendendo-se “potencial criativo” como a capacidade da criança produzir um trabalho original e adaptado ao contexto e aos constrangimentos da situação (Lubart, 1994; Mouchiroud, Tordjman, & Zenasni, 2003). A abordagem multivariada proposta por Sternberg e Lubart (1995) postula que uma combinação conjunta de fatores cognitivos, volitivo-afetivos e ambientais influenciam a capacidade criativa num domínio específico. Os componentes ativos da criatividade são avaliados na bateria EPoC, colocando a criança numa situação de criação e pedindo à criança que produza ideias e produtos em dois campos (verbal e gráfico).

O acolhimento desta iniciativa por parte da UPT e o trabalho que está a ser feito na validação e aferição da bateria EPoC em Portugal inserem-se nas atividades de investigação aplicada no domínio da Neuropsicologia.

 

4 perguntas a Marta Helena Freitas

Cristina Costa Lobo, Marta Helena Freitas e Manuela Barreto Nunes

Marta Helena Freitas é docente e coordenadora de Pós-Graduações na Universidade Católica de Brasília. Especialista em Psicologia das Religiões, esteve recentemente em Portugal e na Universidade Portucalense, com a qual tem colaborado a nível pessoal e institucional.

Nesta entrevista, para ouvir em linha, fala-nos sobre o seu trabalho, o seu país e as paixões que a movem: https://storycorps.me/interviews/4-perguntas-a-marta-helena-freitas-2/

 

 

Biblioteca Geral: Novidades bibliográficos

(Consulte a disponibilidade destas e doutras obras em: http://catalogobib.uportu.pt/)

Monografias

 

Bastida, J. D. (2012). Manual de intervención clinica en psicogerontologia. Barcelona: Herder. ISBN 978-84-254-2851-7.

Cavanaugh, J. C., & Blanchard-Fields, F. (2015). Adult development and aging. Stamford: Cengage. ISBN 978-1-285\-\-44491-8.

Cordo, M. (2003). Reabilitação de pessoas com doença mental: das famílias para a instituição, da instituição para a família. Lisboa: Climepsi. ISBN 972-796-075-8.

Imaginário, C. (2004). O idoso dependente em contexto familiar. Coimbra: Formasau. ISBN 972-8485-38-7.

Laidlaw, K, & Knight, B. (2011). Handbook of emotional disorders in later life. New York: Oxford University Press. ISBN 978-0-19-856945-9.

 

Testes psicológicos

 

Maroto, M. A. (2010). Programa de estimulação da memória: nível 1. Lisboa: CEGOC.

Maroto, M. A. (2010). Programa de estimulação da memória: nível 2. Lisboa: CEGOC.

Pattie, A. H., & Gilleard, C. J. (2010). Clifton: procedimientos para evaluación de ancianos. Madrid: TEA Ediciones. ISBN 978-84-7174-897-3.

Mattis, S. (2009). DRS-2: escala de avaliação da demência. Lisboa: CEGOC. ISBN 978-972-8817-62-6.

Golden, C. J., & Freshwater, S. M. (2012). Stroop: teste de cores e palavras. Lisboa: CEGOC. ISBN 978-972-8817-66-4.

 

Novas Entradas no Repositório UPT

(Consultar entradas em: http://repositorio.uportu.pt)

Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

 

 Afonso, M. G. B. (2015). Para uma biblioteca do conhecimento: Aplicações da Web semântica à organização da informação em catálogos de acesso público. (Tese de Doutoramento), Universidade Portucalense, Porto. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1373. Orientação: Prof. Doutora Manuela Barreto Nunes e Prof. Doutor António Manuel Andrade.

 Bastos, F. M. F. (2015). Trabalho colaborativo entre docentes num território educativo de intervenção prioritária: Estudo de caso. (Tese de Doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1301. Orientação: Prof. Doutora Cristina Costa Lobo.

Carvalho, A. E.C. (2015). Práticas de intervenção: Estudo de caso de uma criança em risco com atraso global do desenvolvimento. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1356. Orientação: Prof. Doutor Nuno Cravo Barata.

Coelho, A. F. C. (2015). Bem-estar psicológico de estudantes de licenciatura: Sua relação com o ajustamento académico. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1359. Orientação: Prof. Doutora Cristina Costa Lobo.

Correia, E. P. M. C. (2015). Lógicas de participação dos docentes na formação contínua numa perspetiva de desenvolvimento profissional. (Tese de Doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1355. Orientação: Prof. Doutor Eusébio André da Costa Machado.

Couto, A. M. P. (2015). A formação inicial de professores do Ensino Básico e a geometria: Um estudo de dois casos. (Tese de Doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1303. Orientação: Prof. Doutora Maria Isabel Piteira do Vale.

Garcia, M. J. B. (2015). A supervisão no âmbito da formação de docentes no 1.º ciclo: contributos para a identidade e o desenvolvimento profissional. (Tese de Doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1299. Orientação: Prof. Doutora Maria Palmira Carlos Alves.

Magalhães, A. S. (2015). "Lucere et Fovere" - Congregação das Irmãs Hospitaleiras (CONFHIC): Um estudo sobre o ideário educativo da Co-Fundadora Beata Maria Clara do Menino Jesus. (Tese de Doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://repositorio.uportu.pt/11328/1376. Orientação: Prof. Doutor Eusébio André da Costa Machado.

Medeiros, A. M. L. (2015). O impacto na autoeficácia percebida de crenças e jovens sobredotados de um programa de competências pessoais, sociais emocionais. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1354. Orientação: Prof. Doutora Cristina Costa Lobo e Prof. Doutora Ema Oliveira.

Muquendi, A. (2015). Lideranças em contexto escolar: O caso da escola de formação de professores de Cambulo. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1366. Orientação: Prof. Doutora Marta Abelha e Prof. Doutora Idalina Martins.

Sousa, D. S. S. (2015). O serviço educativo em Arquivos, Bibliotecas, Museus e Centros de Documentação: Um estudo de casos implementados na Região de Aveiro. (Dissertação de Mestrado em Educação e Bibliotecas), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1358. Orientação: Prof. Doutora Maria Cristina Vieira de Freitas.

 

Produção Docente

 

Abelha, M., Machado, E. A., & Lobo, C. (2014). Colaboração docente em contexto educativo angolano: potencialidades e constrangimentos. In A. Lopes, M. Cavalcante, D. Oliveira, & A. Hypólito (Orgs.), Trabalho docente e formação: políticas, práticas e investigação: pontes para a mudança: atas do II Encontro Luso-Brasileiro (pp.5490-5502). Porto: CIIE – Centro de Investigação e Intervenção Educativas. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/904.

Alvim, L.; Nunes, M. B. (2010). As Bibliotecas 2.0 são redes de comunicação? Contributo para o estudo sobre a utilização das tecnologias da Web 2.0 nas estratégias de comunicação nas bibliotecas públicas e académicas portuguesas [DVD]. In Políticas de Informação na sociedade em rede: actas do 10.º Congresso da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, Guimarães, 7-9 Abr. 2010. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1315.

Albuquerque, A. S. (2012). Filantropia: da relevância dos legados para a obra social das Misericórdias. In Culto, Cultura, Caridade: Actas do II Congresso de História da Santa Casa da Misericórdia do Porto, 28-29 jun.2012 (pp. 363-374). Porto: S.C.M.P. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1191.

Calixto, J. A., Nunes, M. B., Freitas, M. C. V., & Dionísio, A. (2012). Bibliotecas públicas, exclusão social e o fim da esfera pública. Lisboa: BAD. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1313.

Cardoso, S. I. P., & Nunes, M. B. (2015). Auto-imagem e estereótipo do bibliotecário: um estudo centrado nos profissionais de bibliotecas públicas portuguesas. Cadernos BAD, 1 (2015), 23-44. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1316.

Ferreira, A.T., Keating, J., & Silva, I. (2014). A confiança organizacional na gestão de pessoas e no compromisso: um modelo moderador e um mediador. In Pereira, A. [et al.] (Ed.), II Congresso Internacional de Psicologia do Trabalho e das Organizações: Pessoas e Trabalho: Investigação, Diagnóstico e Intervenção nas Organizações (pp 137-139). Braga: Universidade Católica Portuguesa. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/880.

Mota, A. S. S. M., & Nunes, M. B. (2012). O Serviço de Referência nas Bibliotecas Públicas em Portugal: estado da questão e proposta de análise de acordo com as directrizes da RUSA e da IFLA. Lisboa: BAD. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1314.

Mota, A. S., & Nunes, M. B. (2015). Serviços de referência e referência virtual nas bibliotecas públicas portuguesas. In Actas do 12.º Congresso BAD: Ligar. Transformar. Criar Valor, Évora, 21-23 Out. 2015. Lisboa: BAD. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1312.

Reis, C. S., Formosinho, M., & Ferreira, E. (2014). Entrepreneurship education and problem bases learning. In Gijón Puerta J., García Sempere P. (coords.), Book of Papers. Conference on Enabling Teachers for Entrepreneurship Education (ENTENP2014) (pp. 39-47). Granada: Editorial Universidad de Granada. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1187.

 

Ranking de publicações no Repositório UPT

Estão de parabéns os docentes do DPE que melhor têm cumprido a política de acesso aberto à informação da Portucalense, contribuindo para o aumento da visibilidade da nossa produção científica. Abaixo inscreve-se a lista daqueles que depositaram mais de 10 publicações no Repositório UPT:

1. Abelha, Marta 23

2. Jesus, Paulo Renato Cardoso de 23

3. Conde, Ana 19

4. Nunes, Manuela Barreto 19

5. Albuquerque, Ana Sílvia 13

6. Araújo, Maria 12

7. Formosinho, Maria 11

 
 

 

Leituras Recomendadas

Educação em Democracia, de Luísa Neto

“Educação e(m) Democracia” é uma obra da autoria de Luísa Neto, professora da Faculdade de Direito da Universidade do Porto, que trata o tema da educação para os direitos humanos e para a democracia. O livro, editado pela U.Porto Edições, aborda a questão da educação para a democracia numa perspetiva interdisciplinar, enquadrando-a no âmbito da teoria política, do direito constitucional e dos direitos fundamentais. Luísa Neto defende que “a educação em/para a democracia deve comportar não apenas a transmissão de informação sobre os valores ínsitos a um regime democrático mas ainda uma vertente transversal de formação que potencie e motive a tomada de deci­sões políticas informadas e desenvolva uma cultura constitucional de partici­pação em um Estado plural”.

Nas palavras de Jorge Sampaio, autor do prefácio do livro, “encontrará o leitor nesta obra, de leitura exigente mas muito es­timulante do ponto de vista intelectual, um manancial de observações, de re­ferências bibliográficas e de pistas de respostas a um conjunto de temas fortes que nos interpelam, como portugueses, europeus e cidadãos no mundo”, “se quisermos pre­servar o acervo civilizacional” “em termos de direitos humanos, de democracia e de desenvolvimento”.

 

Número Zero, de Umberto Eco

Este início de 2016 tem sido tristemente marcado pela morte de algumas figuras ímpares da cultura nacional e mundial. Umberto Eco foi um escritor, filósofo, semiólogo, linguista, romancista e bibliófilo italiano de fama internacional, tendo-se notabilizado pelos seus estudos sobre a cultura de massa e pelo intenso trabalho em torno da Semiótica. Foi também autor de romances de enorme sucesso, tendo o primeiro, “O nome da Rosa”, passado num mosteiro medieval, sido adaptado ao cinema, num filme protagonizado por Sean Connery.

O último foi este “Número zero” (Gradiva, 2015): nele, Eco apresenta-nos um jornal que se chamará “Amanhã” e do qual se pretendem preparar vários números zero, sabendo o leitor de antemão que o comendador que o financia não pretende que ele alguma vez se publique: o objectivo é reunir alguns dossiês com insinuações suficientes para calar ou controlar os seus inimigos. Os jornalistas vão sendo instruídos sobre a arte de destruir pessoas com informação irrelevante e insinuações infundadas, de publicar desmentidos de tal forma que a mentira desmentida aparece como verdadeira afinal, ou submergir uma notícia importante numa quantidade de dados e outras notícias irrelevantes que a tornam imperceptível.

Pelo meio, um dos jornalistas descobre uma verdadeira bomba que, misturando conspirações reais entre vencedores e vencidos da II Guerra Mundial com a possibilidade de Mussolini ter afinal escapado com vida e aguardar algures um regresso triunfal, transforma o cenário que o leitor ia devorando como uma acertada comédia de costumes, em tragédia que acaba com toda a redação em debandada.

Parece-nos ser o dealbar da era Berlusconi em Itália, mas também da crescente promiscuidade entre jornalismo e poder, que vemos desenhados neste romance, onde o sentido de humor de Eco ameniza o sabor desagradável da corrupção. E é com humor ternurento que percebemos, no meio da podridão, uma história de amor entre dois perdidos da vida, e sobressai a luz que emana da jornalista Maia, aquela que sonha deixar as crónicas cor-de-rosa e os horóscopos e fazer jornalismo a sério. Uma despedida irónica e terna, esta que nos deixa Umberto Eco. 

 

Este website usa cookies para funcionar melhor e medir a performance (Diretiva da União Europeia 2009/136/EC)
Por favor dispense alguns minutos para responder a umas perguntas rápidas sobre o nosso website.